quinta-feira, 30 de outubro de 2008

BELAS MENTIRAS

É como se fosse pisoteado por sapatos invisíveis, minha cabeça não tem idéias boas como as de antigamente; é razoável vender os meus orgãos no mercado negro, nem sei se posso me privar da minha gula, só sei que a morte me acompanha com mais intensidade do que antes de vir morar na cidade grande. O tempo passa e sempre acho que quando era criança me sentia muito mais feliz, hoje eu só penso em mim e no meu egoismo e como ele pode me ajudar a ganhar dinheiro - preciso de uma explicação divina para o egocentrismo - quero ir ao céu antes de afundar na treva do subconsciente, minha vida acontece sem mim, parece estranho mas sempre foi assim que vi a luz no fim do túnel... uma prisão privada de liberdade, não há lugares de fuga no físico, me refugio na capacidade que tenho de me enganar internamente, a alma é tão pesada quanto a matéria.
A vida é a mentira mais bela que deus podia nós contar.
ALEXANDRE ÉLIS

4 comentários:

Fabio disse...

Reptilian,
se sou homem penso, se penso, logo existo.
René Descartes!

superpop disse...

Intenso, sensível e coerente!
ADOREIIIII o texto, menino!

Bjos da menina mais legal de TODO O UNIVERSO

Fabio disse...

Ô Réptil...atualiza logo esse blog...desde 30/10 tá o mesmo post ainda. Fale do Obama e tente me convencer que ele eh o anti-cristo, ou inri-cristo e sei la o q?

atuações levianas disse...

crucifixe o católico que há em você