sexta-feira, 9 de abril de 2010

ALMA BONDER

Sempre acontece e se esquece, um lapso entre o novo e o antigo, ensurdece deixa mudo e muda. E nessa hora o espelho reflete o lado certo para ser lido, a moeda cai sempre inclinada em direção ao destino.
A água não roda na pia, o equilibrio calcula a verdade impotencial a ser nula. A corrente é alternada se transforma em energia e remoi a matéria que se acostuma, com distâncias, paralelas, placas e ruas. Inventa: roteiros,prazeres,distrações e figuras. Que move o abstrato em direção da loucura, Discorda da vida, mas a devora em tédio, pensa e resmunga, não se desgruda.

ALEXANDRE ÉLIS

10 comentários:

Habib Sarquis disse...

Excelente post. =) http://boomnaweb.blogspot.com/

Jordania Eugênio disse...

sempre leio seus post.. são bem sugestivos, e nos fazem perguntar !

;)

http://piscesgenio.blogspot.com

Gustavo Torres disse...

Muito bom o seu post, um pouquinho complicado de se entender, mais muito inteligente, parabens
http://iliketeenworld.blogspot.com/

Pablo Moura disse...

Massa seu blog, http://detrasaocontrario.blogspot.com/

sparrow_johnny disse...

"Que move o abstrato em direção da loucura, Discorda da vida, mas a devora em tédio, pensa e resmunga, não se desgruda."

Um versinho, rimado.
Mas centrado e bonito!

http://cerejas-envenenadas.blogspot.com/
VISITE-ME POR FAVOR.

ArthurAlisson disse...

Muito bom o seu Post...

Bem legal mesmo!

http://www.devaneiosugestivos.blogspot.com/

Blog UaiMeu! disse...

Profundo!!!
http://uaimeu10.blogspot.com/

Fabiane Daz disse...

Seus posts são sempre muito original.. Abraço

Leandro de Morais disse...

sempre original e moderno

http://leandrodemorais.blogspot.com/

CAMILA DE ARAUJO disse...

Seu texto daria um ótimo poema.
Já pensou em publicar uns poemas aqui no blog?
Se é que alguns deles já não estão aqui na forma de breve narrativas

http://www.papel40kg.com/